Filhos saudáveis do patriarcado: a cultura do estupro e a naturalização da barbárie

Por: Paulinha Cervelin Grassi* Em 1935, um jornal mexicano noticiou que um homem bêbado jogou a namorada numa cama e a apunhalou cerca de vinte vezes. Quando questionado pela polícia sobre o crime, o assassino respondeu que apenas foram umas “facadinhas de nada”. Sensibilizada pelo ocorrido, Frida Kahlo desenhou a cena do crime: o assassino com […]

Siempre revolucionária nunca muerta, nunca inútil: a vida política de Frida Kahlo [Parte 3]

[Especial Frida Kahlo – Parte 3] Em memória a seu aniversário de vida (06 de julho) e de morte (13 de julho), divulgamos a terceira e última parte do texto sobre a vida política de Frida Kahlo. * Por: Paulinha Cervelin Grassi* As manifestações de Frida Kahlo a favor do comunismo em seu diário coincidem […]

Siempre revolucionária nunca muerta, nunca inútil: a vida política de Frida Kahlo [Parte 2]

[Especial Frida Kahlo – Parte 2] Em memória a seu aniversário de vida (06 de julho) e de morte (13 de julho), divulgamos a segunda parte do texto sobre a vida política de Frida Kahlo. * Por: Paulinha Cervelin Grassi Durante os primeiros anos da década de 1930, Frida Kahlo acompanhou Diego Rivera nos Estados […]

Siempre revolucionária nunca muerta, nunca inútil: a vida política de Frida Kahlo [Parte 1]

[Especial Frida Kahlo – Parte 1] Em memória a seu aniversário de vida (06 de julho) e de morte (13 de julho), divulgamos a primeira parte do texto sobre a vida política da pintora mexicana Frida Kahlo. * Por: Paulinha Cervelin Grassi Ultimamente, tenho escutado de conhecidas/os o alerta do quanto “Frida está pop”. Afirmação […]

Desconfiguração no rosto de Frida Kahlo: garras da normatização e mercantilização do corpo e da vida das mulheres

Por: Paulinha Cervelin Grassi* Há uma nova versão da pintura Autorretrato con Collar de Espinas (1940), de Frida Kahlo, circulando pela internet. Trata-se de alterações no rosto da pintora mexicana, procurando enquadrá-la em uma estética contemporânea de beleza perfeita. O autor desconhecido, ao desconfigurar o autorretrato, demonstra uma tremenda falta de respeito com a irreverente […]

SEGUIREMOS EM MARCHA ATÉ QUE TODAS SEJAMOS LIVRES!