Quem segura as mulheres? Universidade cearense inaugura núcleo de atendimento às mulheres vítimas de violência

marcha1

Núcleo Jana Barroso da MMM é recebido pela reitoria da UECE

*Por Gladys Pontes

Durante o ano de 2016, o Núcleo Jana Barroso, da Marcha Mundial das Mulheres, esteve a frente da campanha “Quem segura as mulheres?”, de combate à violência contra as mulheres na Universidade Estadual do Ceará (UECE). Percebemos que o debate sobre a (IN) segurança nos campi estava tomando grandes proporções, frente ao medo constante de se transitar pelos corredores da universidade.

Além da insegurança gerada pelo medo de assaltos e furtos, as mulheres estavam sentindo seus corpos serem ameaçados, evitando irem ao banheiro sozinhas, transitarem pelos corredores sem companhia ou saírem da aula sozinhas à noite. Dessa forma, pensamos o quanto estava se tornando mais frequente os casos de violência contra as mulheres na UECE. Fora registrados casos de assédios sexuais, morais e estupros, que tiveram repercussão na universidade, causando grande indignação por parte das estudantes, que viam casos como esses acontecendo e nenhuma providencia ser tomada por parte da administração superior da universidade.

Outro grande fator de indignação foi o fato de que a universidade não dispunha de um sistema para realizar as denúncias de forma presencial, para que as vítimas de violência pudessem denunciar o ocorrido de forma minimamente humanizada. A única maneira disponível era realizar a denúncia era através do site da Ouvidoria, o que tornava o processo de denúncia muito mais burocrático, desumano e ineficaz, principalmente quando se tratava de casos de violência contra a mulher.

17141766_1887107741534612_1488925660_n

Campanha Quem segura as mulheres realiza seminário sobre violência contra as mulheres

A campanha  Quem segura as mulheres? realizou diversas atividades e discussões, encerrando com um ato na Reitoria da universidade. A reunião com o reitor pautou uma resposta para um caso de assédio sexual ocorrido no Campus de Fátima (Fortaleza) e a representação das mulheres no Comitê de Segurança da universidade. Desse modo, após discutirmos a segurança das mulheres no comitê, no próximo dia 8 de março, dia Internacional de Luta das Mulheres, a UECE lançará o Núcleo de Acolhimento Humanizado às Mulheres Vítimas de Violência – NAH. Uma grande vitória das mulheres!

O NAH tem por objetivo acolher mulheres que possuem vínculo com a UECE (estudantes, servidoras e professoras) que tenham sofrido algum tipo de violência no interior do campus e encaminhar essas vítimas aos setores competentes de atendimento psicológico e jurídico. Também é objetivo do NAH promover ações educativas na Universidade, em parceria com o Movimento Estudantil e demais setores de estudos, pesquisas e extensão, sobre relações de gênero e direitos humanos, visando ao estabelecimento de relações de igualdade, respeito e justiça no cotidiano das interações universitárias.

17105629_1887107738201279_1995751764_nEssa conquista é um ato de coragem e solidariedade a todas as mulheres que já foram vítimas de violência na Universidade Estadual do Ceará. Esperamos que ela sirva como inspiração na luta pelo enfrentamento à violência que nos persegue todos os dias, seja na rua, seja dentro dos muros universitários.

Seguiremos em Marcha até que todas sejamos livres!

*Gladys Pontes é Militante do Núcleo Jana Barroso da Marcha Mundial das Mulheres do Ceará.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

SEGUIREMOS EM MARCHA ATÉ QUE TODAS SEJAMOS LIVRES!

%d bloggers like this: