Avançar sem inventar a roda

feministasnoato

MMM no 5º Grande Ato. #17j Foto: Vinicius Campos.

* Por: Maria Otilia Bocchini

A Marcha Mundial de Mulheres está junto ao movimento das ruas e focando em dois aspectos: contra o aumento e pela discussão do modelo de transporte público.

Esse segundo aspecto permite discutir o sistema econômico e o que cada prefeito foi fazendo, desde, digamos, 1969. De 69 a 1986, todos os prefeitos foram nomeados, empresários, banqueiros… Definiram um modelo de transporte por carro nas marginais, grandes avenidas e nada de agilizar o metrô. E detonando a Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC).

Na primeira eleição depois disso, veio Jânio Quadros, que era uma continuidade, fez desfavelamento forçado, mais espaço para os carros, pior para a CMTC.

Aí elegeram Erundina. Só existia um turno, ela ganhou com nem 40% dos votos. Fez de tudo para municipalizar os transportes, e ali nasceu o plano de Tarifa Zero para os ônibus.

Em 1990, a prefeita Erundina, que era bem partidária, incentivava a organização da sociedade civil pela Tarifa Zero de ônibus.  Mandou a proposta para a Câmara, mas os bonitos vereadores não aprovaram.

Pode-se acompanhar o que aconteceu no livro do Ivo Patarra, que dá para pegar quase inteiro na internet: “O governo Luiza Erundina: Cronologia de quatro anos de administração do PT na cidade de São Paulo, 1989-1992”.

Um governo bem partidário junto com muito povo organizado já pedia tarifa zero há 23 anos, quando o pessoal do Passe Livre estava nascendo.

Cabe a nós todos e também ao Movimento Passe Livre refletir sobre o que aconteceu na cidade, quem eram os vereadores de então que recusaram o projeto, quem elegeu oito anos de Maluf e Pitta, que fizeram tudo voltar para muito atrás. Um pouquinho de história viva ajuda a pensar e entender o presente. Ajuda a ver melhor as forças e interesses que movem a cidade, decidir se quer fazer tudo por autogestão. Ajuda a avançar sem precisar inventar a roda de novo.

* Maria Otilia Bocchini é militante da Marcha Mundial das Mulheres de São Paulo e professora da ECA-USP.

Referências:

No livro “O governo Luiza Erundina: Cronologia de quatro anos de administração do PT na cidade de São Paulo, 1989-1992”, ver as datas:

14 de outubro de 1990, p. 184-195;  20 novembro p 198, 199, 210; 26 de dezembro; 2 de janeiro de 1991; 1º de fevereiro; 22 de fevereiro.

Sobre educação, tem Paulo Freire, em 16 de nov 1990 e 22 de fev de 1991.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

SEGUIREMOS EM MARCHA ATÉ QUE TODAS SEJAMOS LIVRES!

%d bloggers like this: