A arte de insultar os outros

*Por Caroline Bernardo
A maioria dos comediantes, principalmente os de stand up, se utilizam das diferenças entre as pessoas para ganhar fama e fazer piada. Se você não está entendendo o que estou dizendo é simples: a moda agora entre os comediantes mais famosos é ser politicamente incorreto. Uma pessoa como Rafinha Bastos, Danilo Gentili e muitos outros tem seus roteiros de show de Stand Up baseados nos principais problemas sociais e principais precipícios que há nas relações sociais.
Ir a um show desses e achar graça demonstra o que a sociedade realmente acha sobre gordos, negros, homossexuais, pessoas com alguma deficiência. Isso significa que o roteiro desses artistas é baseado em preconceitos que a sociedade finge que são inexistentes, mais a verdade é bem distante disso são piadas: homofônicas, machistas, xenofóbicas, com intolerância religiosa. Tradução = ao que me parece ser politicamente incorreto é a moda e fingir que esses preconceitos não passam de uma simples piada e não são arraigados na sociedade é outra grande piada.
Mais dessa vez foi muito além da sandice original, Rafinha Bastos em um dos seus últimos shows fez apologia ao estupro. Segue algumas das frases do show:
“Homem que fez isso [estupro] não merece cadeia, merece um abraço.”
“Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade.”
Aparentemente no show apenas ele achou graça da piada em relação ao estupro, e aparentemente somente ele não entende a violência que principalmente as mulheres sofrem com o abuso sexual. Ele gostaria de ser estuprado? Ele acharia que se um cara estupra-se ele deveria levar um abraço? Ou se alguém estupra-se um filho ou filha dele ?
Ridiculamente ridículo, mais parece que não é de hoje que os comediantes do Santd Up costumam fazer apologia ao estupro, em 10 de novembro de 2009 um ator global/malhação e comediante-Murilo Couto disse a seguinte frase pelo twitter: Apagão de ontem: quem não estuprou ninguém perdeu a chance” ( se referindo ao apagão de São Paulo). Na época ele sofreu severas retaliações da grande mídia. Mas porque o Rafinha Bastos não pagou o mesmo preço de propaganda negativa quanto a sua imagem? Simplesmente porque ele acaba de ser eleito pelo jornal norte-americano The New York Times como o homem mais influente do mundo no Twitter.
Digo somente que a arte de insultar os outros não deveria dar dinheiro a ninguém, e enaltecer crimes como estupro deveria ter pelo menos uma sanção financeira. Absurdo!
Maiores informações em:
*Caroline Bernardo, estudante de Direito da UFPA, Diretora de Mulheres pelo campo de OPOSIÇÃO do DCE- Ufpa. http://carolinebernardo.blogspot.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

SEGUIREMOS EM MARCHA ATÉ QUE TODAS SEJAMOS LIVRES!

%d bloggers like this: